Marcar consulta
Terapia da Fala

Terapia da Fala

A Terapia da Fala é a especialidade clínica que visa a prevenção, avaliação, diagnóstico, tratamento e estudo científico da comunicação humana e das perturbações a ela associadas ao nível da fala e da linguagem mas também relacionadas com as funções auditiva, visual, cognitiva, oro-muscular, respiratória, deglutição e voz. A terapia da fala é ainda útil na abordagem e tratamento de problemas da deglutição, como a disfagia (dificuldade em engolir líquidos e sólidos).

Marcar consulta

Corpo clínico

Terapia da Fala
André Costa

Dr. André Costa

Marcar consulta | Ver perfil

Teresa Sousa

Dra. Teresa Sousa

Marcar consulta | Ver perfil

Perguntas frequentes

Aqui encontra as respostas à perguntam que mais frequentes em consultório na especialidade de Terapia da Fala.
  • Fico rouco com frequência especialmente ao final do dia. A Terapia da Fala pode ajudar-me?

    A rouquidão ou disfonia é um problema bastante comum na população, sendo definida como qualquer alteração no carácter da voz, sendo evidenciada pela falta de clareza do som. Na grande maioria das vezes trata-se de um problema transitório, associado a infeções da laringe. A rouquidão pode ser classificada como aguda (curta duração) ou crónica (15 dias ou mais).

    Se a sua rouquidão é frequente, deve consultar em primeiro lugar um Otorrinolaringologista. Através de exames e procedimentos simples, o Otorrinolaringologista consegue a visualizar as suas pregas vocais e determinar a origem do problema.

    Nos casos funcionais, o principal tratamento passa pela Terapia da Fala, onde o paciente reaprende a utilizar a sua voz de forma mais equilibrada e adequada. Isso é conseguido pela realização de exercícios e técnicas específicas, orientados por um profissional capacitado, o Terapeuta da Fala.

  • Tenho indicação para Terapia da Fala. Mas isso não é para gagos ou pessoas que não dizem os L's?

    O Terapeuta da Fala é o profissional responsável pela prevenção, avaliação, intervenção e estudo científico das perturbações da comunicação humana, englobando não só todas as funções associadas à compreensão e expressão da linguagem oral e escrita, mas também outras formas de comunicação não-verbal.

    O Terapeuta da Fala intervém, ainda, ao nível da deglutição (passagem do alimento desde a boca até ao estômago). Avalia e intervém em indivíduos de todas as idades, desde recém-nascidos a idosos, tendo por objetivo geral otimizar as capacidades de comunicação e/ou deglutição do indivíduo, melhorando, assim, a sua qualidade de vida (ASHA, 2007).

    Desta forma, é da competência do Terapeuta da Fala, intervir sobre as mais diversas patologias da comunicação e deglutição, tais como: prematuridade, dificuldades na alimentação, alterações de comunicação, linguagem, fala, leitura e escrita, dislexia, gaguez, motricidade orofacial, deglutição, mastigação, gaguez, AVC’s, Parkinson, Alzheimer, patologias vocais (ex.: nódulos, pólipos…), entre outras.

  • O meu filho tem 3 anos e ainda não fala. Será que devo procurar um Terapeuta da Fala ou ainda é cedo?

    A intervenção do Terapeuta da Fala ocorre desde o nascimento até à idade adulta, logo nunca é cedo de mais para procurar a sua ajuda.

    Se não está seguro de que o seu filho está dentro dos padrões de desenvolvimento ao nível da comunicação, linguagem e/ou fala, deverá procurar ajuda de um Terapeuta da Fala e marcar uma avaliação.

    Há pequenas lacunas no desenvolvimento que quando tratadas atempadamente se resolvem de forma simples, enquanto que se detetadas tardiamente podem ter repercussões mais graves e demorar mais tempo para se obterem resultados.

    Alguns dos sinais de alerta para que possa estar atento são:

    1 mês - Não segue a face;
    2 meses - Não reage a sons;
    4 meses - Não localiza o som;
    6 meses - Deixou de palrar, Não vocaliza, Não localiza o som;
    9 meses - Não usa sons monossilábicos como “mamã” ou “papá”, não reage a estranhos;
    10 meses - Não responde ao seu nome;
    12 meses - Não brinca, não estabelece contacto com adultos ou crianças;
    15 meses - Não percebe “adeus”, “não”, “papá”;
    18 meses - Não diz nenhuma palavra;
    24 meses - Não identifica partes do corpo, Palra muito, Repete tudo o que lhe dizem, Não junta palavras;
    3 anos - Fala ininteligível para estranhos, Não faz frases simples, Não faz perguntas simples, Não usa o “eu”;
    4-5 anos - Substituição sistemática de um som por outro, Omissão frequente de sons ou sílabas.